27 de mai de 2012



Confissões geladas
percorrem o labirinto,
derramam o ar de inverno
dentro do ouvido.
Tento algodão alcoólico
para embebedar o canal.
Prolongo
a tortura da vertigem,
inspiro fundo
esticando o momento.
Procuro seu cheiro silvestre.
Alcançaria nossa primavera?
Insólita fuga,
da certeza tão definitiva
de que agora,
você vai.
Impera-triz:  
o acontecimento precipício:
deito as mãos trêmulas
sobre as orelhas,
e se esvai a última gota
gélida de você.
Quero chorar sua partida,
mas estou seca
e as flores
estão mortas.

(Foto: Francesca Woodman)